Queimaduras

Queimaduras de água viva

Publicado em 15 de dezembro de 2015

No verão muitas pessoas viajam para o litoral brasileiro, para poderem aproveitar o período de férias.

Porém, nas praias do sul do Brasil, os casos de pessoas atingidas por queimaduras de água viva estão aumentando mais e mais a cada dia. Em vista disso, é importante saber de algumas informações relevantes a respeito dessas queimaduras para evitar maior sofrimento.

As águas vivas tem seu corpo coberto por filamentos que injetam toxinas na pele quando ocorre o contato. Algumas delas podem causar reações alérgicas e outras complicações mais graves.

A água viva mais venenosa é a chamada Box Jellyfish e habita nos mares da Austrália. Sua queimadura pode causar parada cardíaca em menos de três minutos.

É muito difícil ver uma água viva no mar, geralmente à pessoa só nota que há águas vivas no local quando sente a ardência do contato com o animal. Veja como proceder nesses casos.

Ao perceber a ardência, saia imediatamente da água.

– Enxágue o local com soro fisiológico, não utilize água da torneira.

– Faça compressas de gelo e as posicione com cuidado sobre a queimadura, elas ajudam a aliviar a dor.

– Procure o hospital ou emergência mais próximos – algumas águas vivas liberam substâncias tóxicas que podem causar reações alérgicas graves.

Deve-se evitar jogar água na queimadura, lave somente com soro fisiológico. É importante evitar coçar ou esfregar a queimadura com as mãos ou com roupas apertadas. Se a queimadura for friccionada, ela pode criar bolhas e isso pode fazer com que a queimadura fique ainda pior e demore mais para sarar.

Siga as recomendações e não agrave o problema. Infelizmente não há uma maneira de evitar a queimadura, porém você pode se informar a respeito da presença de águas vivas no local antes de entrar na água. Cuide-se e aproveite melhor o verão sem preocupações ou sofrimento.

A Clínica Cepelli oferece tratamento especializado em feridas e queimaduras.

Conheça nossa página no Facebook   Clique Aqui

Voltar