Feridas Agudas e Crônicas

Publicado em 10 de janeiro de 2015

CENTRO CLÍNICO AVANÇADO NO TRATAMENTO DE FERIDAS E QUEIMADURAS

A Clínica Cepelli, Centro Avançado no Tratamento de Feridas e Queimaduras, foi inaugurada em 2013, a partir de uma parceria entre o cirurgião plástico Dilmar Leonardi, o cirurgião pediatra Maurício Pereima e a enfermeira Carolina Lunardi Cureau. Aliando a larga experiência em centros cirúrgicos destes profissionais à longa trajetória como professores-doutores em faculdades de medicina, os sócios da Cepelli trouxeram para Florianópolis os mais inovadores recursos para a assistência às queimaduras e feridas de difícil resolução.

Com publicações e pesquisas publicadas nas mais importantes revistas científicas da área, como a Revista da Sociedade Brasileira de Queimaduras, a Burns, da International Society for Burns Injuries e no seleto banco de dados da PLOS, biblioteca pública de ciência reconhecida como um dos principais arquivos de Biologia, Genética, Medicina e áreas afins em todo o mundo, nosso corpo clínico é reiteradamente convidado para compartilhar sua experiência em eventos internacionais. Só em 2014, por exemplo, participamos como palestrantes do VIII Congresso Chileno e Internacional de Quemaduras – Integrando Visiones, no Chile, e do Congress of the International Society for Burn Injuries, na Austrália.

Dr. Maurício José Lopes Pereima, Diretor Clinico da Clínica Cepelli , além das experiências acadêmicas e institucionais, como Diretor Científico da Sociedade Brasileira de Queimaduras (2011-2012), Editor da Revista Brasileira de Queimaduras (2013-2014), e professor associado IV do Curso de Medicina da UFSC, com Doutorado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo; o especialista dedica-se há 20 anos à chefia da Unidade de Queimados do Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis. Credenciada pelo Ministério da Saúde, a unidade de alta complexidade recebe crianças de todo o Estado, e é considerada referência em tratamento e formação de recursos humanos na América Latina.

Em 2012, chamou a atenção de toda a mídia nacional – e consequentemente para a gravidade do problema – ao trazer para o Brasil a vítima de queimaduras que se tornou um ícone da Guerra do Vietnã, Kim Phuc, oportunidade em que foi o Presidente do VII Congresso Brasileiro de Queimaduras, realizado em Florianópolis.
Com Doutorado em Medicina pela Fundação Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre, o Diretor Técnico, dr. Dilmar Leonardi, também é reconhecido como uma das maiores autoridades em queimaduras do país. O Dr. Dilmar Leonardi é professor do Curso de Medicina da UNISUL, cirurgião de referência para atendimento a grandes queimados na UTI do Hospital Regional Homero de Miranda Gomes , e sócio da Clínica Cepelli, onde impõe um ritmo de inovação permanente.

A Enfermeira Carolina Lunardi Cureau por sua vez tem experiência no tratamento cirúrgico, tendo sido inclusive enfermeira chefe do centro cirúrgico do Hospital de Caridade e Enfermeira Gerente da Clinica Ultralitho , Associado à experiência técnica no tratamento de doenças cirúrgicas, desempenhou também atividades administrativas destacadas como Gerente Técnica da Superintendência dos Hospitais Públicos Estaduais da Secretaria Estadual da Saúde da Santa Catarina no período 2010 à 2013. Entre as novidades implementadas pela Enfermagem da Clínica Cepelli por exemplo, está o programa de Desospitalização precoce, a cargo da enfermeira Carolina Lunardi Cureau. Mestre em Gestão Hospitalar, a também sócia da clínica desenvolve um serviço de atendimento domiciliar capaz de antecipar a alta hospitalar e a reintegração do paciente aos ambientes familiar e laboral.

Somando o tratamento humanizado a recursos de última geração, o Corpo Clínico da Cepelli coloca ao alcance dos catarinenses a máxima resolução na assistência às queimaduras, feridas e lesões, sejam elas agudas ou crônicas. Coberturas com alta tecnologia – como curativos impregnados com prata, matrizes de regeneração dérmica e curativos de pressão negativa – garantem resultados efetivos, reduzem o desconforto, as chances de contaminação e a prescrição de antibióticos, com um benefício adicional: a oferta de atendimento domiciliar quando o paciente tiver dificuldades para se deslocar até a clínica.

ANTIGA DOENÇA, NOVO PARADIGMA:

As queimaduras estão presentes na humanidade desde a época da Pré-história. Provavelmente esta foi a primeira experiência vivida pelo homo sapiens assim que dominou o fogo. E os recursos para amenizar a dor também datam daí. Os livros de história retratam curativos absorventes feitos com papiros pelos egípcios, assim como gregos buscando a cura em balneoterapias e nos óleos hidratantes.

Na Idade Média, a Medicina passou por um longo período de obscurantismo, sem evoluções no tratamento das queimaduras. A Idade Moderna foi marcada pela introdução da Sulfadiazina de Prata por Fox, em 1968, e pela técnica de excisão precoce do tecido queimado, preconizada por Zajencovickz na década de 80. Desde então, ao longo de 30 anos, a assistência às vítimas de queimaduras vinha utilizando os mesmos recursos, com tratamentos longos e doloridos. Já era tempo de a Medicina registrar um avanço impactante neste setor, e a resposta veio alicerçada na tecnologia.

Nas lesões de espessura parcial, conhecidas como queimaduras de 2o grau, em que a reepitelização da superfície queimada se faz a partir da proliferação de células do próprio paciente, o tratamento teve mudanças notáveis. Os curativos com agentes antissépticos e as pomadas com antibacterianos, que exigem remoção diária, e que costumam se associar a processos infecciosos de longa duração, agora podem ser substituídos por curativos biológicos e semi-biológicos impregnados com prata e antinflamatórios. Trocados a cada sete ou dez dias, eles permanecem por mais tempo sobre o leito da ferida, reduzindo desconfortos, episódios dolorosos, custos e o tempo de cicatrização.
Nas lesões de espessura total ou queimaduras de 3o grau, a remoção do tecido queimado nas primeiras 48 horas, com posterior cobertura da área queimada com tecnologias de engenharia tecidual e terapia celular, diminui dramaticamente a morbidade e a mortalidade desses pacientes. Com resultados estéticos e funcionais próximos ao da pele normal e superiores ao proporcionado pelo tratamento convencional, estes recursos representam um novo paradigma na maneira de tratar e minimizar as sequelas das queimaduras.

Confira alguns serviços disponibilizados na Clínica Cepelli:

– Tratamento de queimaduras de fase aguda com menos danos estéticos e funcionais na área atingida (processo de cicatrização mais rápido, com tecnologias de curativos de longa permanência e cirurgias precoces com substitutos cutâneos).
– Tratamento de feridas complexas agudas e crônicas (com tratamentos convencionais são de difícil resolução).
– Úlceras diabéticas, vasculares e isquêmicas.
– Escaras de decúbito e de pressão .
– Traumas e complicações cirúrgicas como deiscências do tecido de revestimento e perdas teciduais.

Novas tecnologias:

– Curativos de prata permanentes e curativos impregnados com analgésicos que permitem analgesia durante o processo de cicatrização.
– Curativos de pressão negativa que otimizam o processo de cicatrização de feridas de todas as etiologias.
– Matriz de regeneração dérmica (que permite a formação de uma nova derme, com resultado estético e funcional próximo ao de uma pele normal), utilizada para coberturas cutâneas extensas.
– Engenharia de tecidos e terapia celular com células-tronco de origem mesenquimal.

Voltar